>Catiaho Reflexo d’Alma Compartilhando a Palavra com Nilson Barcelli

>

                                                                       

És seara de girassóis

comigo ao peito,

alento onde navego infante

no alvoroço

do teu porto de abrigo,

sereia embriagante

[à qual não consigo chegar]

na inquietante sede de ti.


Sempre que te sinto,

tenho este desassossego

roído em migalhas

[angústia letal bebida aos golos],

esta omissão de pólen

na respiração da vontade,

este abatimento

[de olhar suspenso

na tua seara de girassóis],

enquanto me esperas

d   e corolas abertas para mim.



Poema: Nilson Barcelli © Maio 2011

Fotografia: Edina Sikora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s